sábado, 26 de novembro de 2016

à velocidade da luz

o caos avança nas ruas      o caos avança nas casas      zumbis vagam o deserto
de asfalto ferro e cimento      ávidos por um trabalho      ávidos por um salário  
anseiam uma chuva de crédito      para a colheita nos shoppings      e um farto supermercado
se as bocas repetem que sim      à espera de dias melhores      os olhos se afundam no chão
por dentro uma chuva de lágrimas      inunda o deserto das almas     de frio ferrugem e pó
os zumbis e seus corpos lentos      lentos seus pensamentos      se perdem apodrecendo
no inferno de ferro e cimento      o caos avança nos corpos      o caos avança nas mentes
à velocidade da luz

Nenhum comentário:

Postar um comentário